Morre no HospitalTarcísio Maia em Mossoró, um dos baleados na cidade de Tibau.

03 Jan2018

Por Jbelmont às 20h40

Francisco José da Silva, "Neguinho", 26 anos de idade, morador de Tibau, baleado na tarde de hoje (03) durante um atentado a tiros em um bar naquele cidade litorânia do oeste Potiguar, morreu agora a pouco no Hospital Regional Tarcísio Maia em Mossoró/RN. 

Além de Neguinho, outras duas pessoas roram baleadas, Francisco Adriano Leitão de 36 anos de idade, que estava com “Neguinho” bebendo numa mesa e Fagner Barbosa de Melo de 38 anos de idade, que também estava no bar como frequentador.

As vítimas foram socorridas por três ambulâncias para o Hospital Tarcísio maia em Mossoró. Neguinho como era mais conhecido e que segundo a polícia era o alvo dos atiradores, não resistiu a gravidade dos ferimentos e morreu horas depois de chegar ao HRTM. Esta é a primeira morte violenta registrada em Tibau neste ano de 2018.

Deixe seu comentário

Sindicato dos Policiais Federais do RN emite nota de apoio aos policiais civis e militares, detona Governo e Bancada Federal, e faz apelo

03 Jan2018

Por Jbelmont às 14h34

O SINPEF-RN -Sindicato dos Policiais Federais do Rio Grande do Norte, acompanha com preocupação e, sobretudo com indignação, a lamentável situação dos policiais civis e militares em nosso Estado. É preocupante perceber que o Governo do Estado negue aos cidadãos e as cidadãs o direto à segurança.


Causa indignação que o governador, Senhor Robinson Faria, não se mostre capaz de viabilizar o pagamento do salário dos policiais que precisam alimentar suas famílias. Não dá para aceitar calado, o desprezo do atual governante com profissionais que se dedicam, de corpo a alma, arriscando suas próprias vidas, em defesa da sociedade. Como se não bastasse, além de não pagar os salários, ameaça os policiais de prisão. Robinson quer nos colocar na idade média. Isto é um absurdo!

O governo se mostra mais que incompetente, se mostra ingrato com os policiais. Pois são estes mesmos que o governador deixa sem dinheiro e quer colocar atrás das grades, que saem de suas casas todos os dias para defender, não apenas os cidadãos comuns, mas o próprio governador. Neste quesito, o senhor Robinson Faria poderia acrescentar ingratidão ao seu sobrenome.

O SINPEF é solidário aos policiais do Estado do Rio Grande do Norte, porque sabe da falta de condições de trabalho destes dedicados profissionais. Sabemos que as viaturas estão em grande parte quebradas e sem a devida manutenção. Que faltam coletes, que o armamento é inadequado. Robinson, o ingrato, bem que poderia olhar o exemplo de Estado vizinho. Enquanto o Ceará investe 11 milhões de reais em equipamentos de segurança, ele (O ingrato) promete prisão aos policiais.

O trabalho do policial é por natureza estressante. Sem salário e sem condições de trabalho, torna-se impossível obter o melhor resultado em favor da sociedade. Bem como, a favor da própria saúde psicológica dos profissionais. Pois, a excelência do serviço prestado está diretamente relacionada à qualidade do equipamento e a saúde do profissional.

É ensurdecedor o silencio da nossa Bancada Federal em relação à insegurança pública no Rio Grande do Norte. No mínimo, nossos senadores e deputados estão sendo omissos com a população, sobretudo com as pessoas que não podem pagar segurança privada. A omissão da Bancada Federal é um tiro na dignidade dos policiais potiguares.

De público, o SINPEF faz um apelo ao governador Robinson Faria, que pague urgentemente os salários atrasados e o décimo terceiro de todos os policiais e bombeiros. Que se lembre, que prometeu ser o “governador da segurança”, e não o governador perseguidor de policiais. Toda nossa solidariedade aos bravos homens e bravas mulheres que fazem as polícias do Rio Grande do Norte.

A Diretoria do SINPEF

FONTE: SINPEF/RN

Deixe seu comentário

Com algemas nos punhos, policiais civis se apresentam na Delegacia Geral de Polícia em Natal

03 Jan2018

Por Jbelmont às 10h01

Fotos: Divulgação Sinpol-RN

Policiais civis do Rio Grande do Norte se apresentaram na Delegacia Geral de Polícia, na manhã desta quarta-feira (3), em Natal, para serem presos. Em assembleia realizada ontem(02), os policiais decidiram que permanecem trabalhando em regime de plantão, mesmo diante da possibilidade de serem presos. O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte considerou o movimento ilegal e determinou a prisão de policiais da ativa e da reserva que incentivem, promovam ou defendam a greve. A categoria alega falta de condições psicológicas para realização do trabalho e ainda impossibilidade de sustento aos familiares.

Por causa da greve, apenas as delegacias de plantão e as regionais funcionam no estado. A categoria cobra o pagamento dos salários de novembro, dezembro e do 13º. Os policiais civis estão em greve desde o dia 20 de dezembro.


BG

Deixe seu comentário

'Sem condições legais e seguras de trabalho, continuamos fora das ruas', diz associação de PMs e bombeiros do RN

03 Jan2018

Por Jbelmont às 08h56

Comando diz que 42 viaturas rodaram na Grande Natal nesta terça (2). Associação afirma que categoria segue mobilizada, apesar de a Justiça considerar a greve ilegal.

 

Deixe seu comentário

Governo do Estado paga no dia 06 salários de novembro para quem ganha acima de R$ 4 mil

03 Jan2018

Por Jbelmont às 08h49

Governo do Estado credita no sábado, dia 06, os salários de novembro na conta dos servidores que ganham acima de R$ 4 mil. O mês de dezembro e 13º ainda sem datas definidas.


Deixe seu comentário

Em greve, PM do RN ganha folga se pagar conserto de veículo da polícia, destaca Folha de SP

03 Jan2018

Por Jbelmont às 08h44

A farda custou R$ 240. O coturno, na promoção, foi R$ 170. Se pagarem do próprio bolso o conserto dos carros parados no estacionamento, são recompensados com dias de folga. Os sacos de gesso para reformar as paredes gastas foram doados por vizinhos. Já a reforma foi feita pelos próprios policiais militares.

Esse é o ambiente de trabalho na 2ª Companhia do 9º Batalhão da Polícia Militar do Rio Grande do Norte. A Folha visitou a unidade e ouviu os relatos dos próprios PMs. E a situação, dizem, é a mesma em todas as outras companhias do Estado. Com os salários de novembro, dezembro e 13º atrasados, a maior parte dos agentes do Estado está aquartelada há mais de duas semanas –isso motivou a chegada das Forças Armadas na semana passada.

Os PMs, porém, negam que estejam em greve: dizem que comparecem aos batalhões, mas não podem sair às ruas com coletes balísticos vencidos e carros danificados e sem documentação. “Não tem nem munição. A gente sai com dez balas na arma por dia. Se se envolver em tiroteio, volta e acabou. Se tiver ocorrência grave, não tem como atender. Dá para trabalhar assim? Vou sair com colete a prova de balas vencido?”, indaga um cabo.

“Meu motorista aqui não tem nem habilitação.” Sem folha sulfite, diz, não consegue nem imprimir a escala de trabalho dos agentes. Na 2ª Companhia, nenhum dos sete carros funcionava. O cenário é o mesmo em outros locais: a 3ª companhia do 5º BPM é mais organizada, dizem os agentes, porque fica em área rica e vizinhos pagam por reformas. Os agentes fizeram uma vaquinha para comprar coletes.

“Tive que pedir dinheiro ao meu irmão para pagar a conta de luz. O banco liga me cobrando dívida o dia todo. Eu digo: ligue para o governador”, conta um soldado.

Os agentes têm receio de se identificar sobretudo depois de decisão judicial que, no domingo, determinou que os chefes da PM, dos bombeiros e da Polícia Civil prendam em flagrante os agentes que promoverem, incentivarem ou colaborarem com a paralisação.

“E ainda impedem a gente de trabalhar com outra coisa. Eu trabalho 24 horas e folgo 72 horas. Mas vou fazer segurança de loja nesses três dias ganhando R$ 50. Porque, se não, como vou almoçar?”

A situação dos carros é admitida pela Secretaria de Segurança, que baixou portaria em que exime os agentes de riscos ou danos que os veículos possam causar “já que se trata de estrito cumprimento de ordem judicial”.

BAIXO EFETIVO

Hoje, no Estado, são pouco menos de 8.000 policiais militares, segundo a PM. O total vem caindo: em 2011, eram 11 mil agentes, diz a Associação de Cabos e Soldados da PM. O efetivo previsto em lei é de 13.466 agentes.

“O crime se organizou, a população cresceu, e a polícia diminuiu”, diz Roberto Campos, da Associação de Cabos e Soldados, que afirma nunca ter enfrentado crise parecida.

Um policial entra hoje na corporação com salário de R$ 2.904 e vale alimentação de R$ 10. Segundo levantamento de 2015 da Anermb (associação de entidades da PM e Bombeiros), o vencimento é o 19º entre os 27 Estados. Com a paralisação, o Estado registrou uma ligeira alta na taxa de crimes violentos.

Presidente da Associação de Subtenentes e Sargentos, Eliabe Marques diz que “sofre com esse número porque também é população”.”A nossa intenção não é causar o terror e até pedimos desculpas. Mas na certeza de que estamos fazendo a coisa certa. Porque não dá para trabalhar sem qualquer proteção”, diz.

Oficialmente, a PM reconhece que, “por questões orçamentárias”, falta fardamento, mas diz que isso “não implica que todos os policiais ficam sem receber uniforme”

.A corporação nega, entretanto, que haja coletes balísticos vencidos. Diz que recebeu 3.000 unidades do governo federal, suficiente para o efetivo que faz o patrulhamento nas ruas. Diz que a munição em estoque é suficiente para as ações da corporação.

A PM diz desconhecer incentivo a policiais que restaurarem veículos. Reconhece que há uma baixa no efetivo, mas afirma que o governo lançará em breve edital para contratar 1.000 novos agentes.

O Governo do RN afirma que terminará de pagar o mês de novembro até sábado (6), pagando os salários de quem ganha acima de R$ 4.000. O 13º salário, deve ser depositado “o mais breve possível”.

A Polícia Civil também está parada. “Se eu for preso é até bom, que aí tenho almoço e jantar”, diz um agente.

Folha de SP

Deixe seu comentário

Agentes Penitenciários ameaçam deflagrar Operação Padrão se policiais forem presos

02 Jan2018

Por Jbelmont às 23h25

Os Agentes Penitenciários do Rio Grande do Norte se solidarizam com os policiais civis e militares que realizam ações para cobrar os salários atrasados. De acordo com o Sindasp-RN, caso algum policial seja preso por causa dessas mobilizações, os servidores do Sistema Penitenciário irão deliberar pelo início de uma Operação Padrão nas unidades prisionais.

"Os policiais não são bandidos e, assim como todos os servidores públicos, estão lutando pelos salários. Não é justo que eles sejam massacrados. Estamos solidários e reforçamos que o Governo do Estado é responsável pelos atrasos de salários. Inclusive, representantes de todos os servidores entraram com mandado de segurança coletivo para garantir os pagamentos", comenta Vilma Batista, presidente do Sindasp-RN.

Ela ressalta ainda: "Os policiais civis e militares não estão em estado de greve, estão em estado de necessidade, mesma situação vivida pelos Agentes Penitenciários. Entramos em 2018 e não temos previsão de recebimento dos atrasados que restam de 2017",

Vilma Batista explica que os Agentes Penitenciários, mesmo diante das dificuldades e dos constantes atrasos de salários, continuam segurando o controle das unidades prisionais para que o Rio Grande do Norte não tenha um caos social pior, com o crime organizado tomando o controle de tudo.

De acordo com Vilma, os Agentes Penitenciários estão se alimentando nas unidades por não terem as condições ideais de comida em casa, já que estão recebendo em atraso. Por isso, o Sindasp-RN irá solicitar, inclusive, a redução da jornada de trabalho da categoria junto à Secretaria de Justiça e Cidadania
.

"Iremos cobrar também que seja oferecido transporte para os Agentes Penitenciários. Tem agente que está pedindo dinheiro emprestado para poder ir trabalhar", afirma a presidente do Sindicato.

 

Blog Ismael Sousa

Deixe seu comentário

Caixa retoma financiamento habitacional Pró-Cotista

02 Jan2018

Por Jbelmont às 23h20

A Caixa Econômica Federal retomou hoje (2) a linha de financiamento habitacional Pró-Cotista, destinada à compra de imóveis a juros baixos por trabalhadores que têm conta vinculada ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Também será elevado de 50% para 70% o limite de financiamento para imóveis usados.

 

O valor disponibilizado para a linha este ano é de R$ 4 bilhões. No ano passado, o recurso disponível foi de R$ 6,1 bilhões. O Pró-Cotista é uma linha de crédito imobiliário mais barata com taxa de juros que variam de 8,85% ao ano a 7,85% ao ano para clientes com débito em conta ou conta salário na Caixa. A taxa só não é inferior à do programa Minha Casa, Minha Vida.

A linha Pró-Cotista havia sido suspensa em junho do ano passado após todo o recurso disponibilizado para 2017 ter sido utilizado. Foi também no ano passado que o banco reduziu para 50% do valor do imóvel usado o limite máximo de financiamento. Até então, era possível financiar 60% ou 70% do montante dependendo do tipo de linha de crédito contratada.

O financiamento pela linha Pró-Cotista pode ser contratado por trabalhadores com pelo menos 36 meses de vínculo com o FGTS ou saldo em conta vinculada de pelo menos 10% do valor da avaliação do imóvel. Quem quiser obter o financiamento também não pode ser proprietário de imóvel no município onde mora ou trabalha, nem ter financiamento no Sistema Financeiro da Habitação em qualquer parte do país.

Deixe seu comentário

Mesmo com risco de prisão, policiais civis do RN seguem com paralisação

02 Jan2018

Por Jbelmont às 22h37

Sindicato que representa a categoria diz que ainda não foi notificado sobre a decisão que manda prender policiais que não retornarem ao trabalho. A Justiça considera greve ilegal.

 

Em assembleia realizada na tarde desta terça-feira (2) os policiais civis do Rio Grande do Norte decidiram que permanecem trabalhando em regime de plantão, mesmo diante da possibilidade de serem presos. Ele vão se apresentar na sede da Polícia Civil, em Natal, na manhã desta quarta-feira (3) a partir das 8h. A ação faz parte da mobilização que a categoria vem realizando desde o dia 20 de dezembro, cobrando o pagamento dos salários de novembro, dezembro e do 13º.

 

Ver mais  CLIQUE AQUI

 

Deixe seu comentário

Servidores públicos estaduais farão ato unificado em Mossoró contra atrasos salariais nesta quarta (03)

02 Jan2018

Por Jbelmont às 22h23

Servidores estaduais de diversas categorias se reúnem amanhã (03) em um ato público unificado, denunciando a falta de pagamento dos salários de novembro, dezembro e do 13º.

A manifestação terá início às 8h na Reitoria da UERN (R. Dr. Almino Afonso, 478 – Centro) , de onde os servidores e servidoras saem em caminhada até a Praça da Independência (Mercado Central). Após panfletagem, as categorias partem para o Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), onde realizam um ato unificado com os trabalhadores e trabalhadoras da unidade de saúde.

Os servidores públicos do RN não recebem salários em dia desde Janeiro de 2016. De lá pra cá o Governo de Robinson Faria vem dilatando ainda mais a data para pagamento das categorias, que ainda aguardam pelos vencimentos de novembro/17, Dezembro/17 e do 13º.

Heitor Gregório

Deixe seu comentário

Prioridade de Izabel Montenegro é o PMDB

02 Jan2018

Por Jbelmont às 22h19

Presidente da Câmara Municipal de Mossoró e integrante da base de apoio do governo Rosalba Ciarlini (PP), a vereadora Izabel Montenegro (PMDB) foi clara hoje (terça-feira, 2), quanto às suas prioridades políticas este ano:


Izabel: candidatos do PMDB (Foto: arquivo)

- “Serão os candidatos do PMDB, o meu partido”.

Não titubeou nem fez rodeios.

Seu desejo é que “a prefeita esteja no mesmo palanque”.

Se não der, paciência.

Que fique claro: não apoiará qualquer candidato governista municipal.

Captamos.

Ela foi entrevistada pelo radialista Joãozinho Graciliano, o “Joãozinho GPS”, hoje no programa Super Manhã Difusora, da Rádio Difusora de Msosoró.

 

Do Blog de Carlos Santos

Deixe seu comentário

Policiais civis do Rio Grande do Norte decidem manter paralisação

02 Jan2018

Por Jbelmont às 19h55

Policiais civis do Rio Grande do Norte decidiram continuar trabalhando em regime de plantão, com paralisação de alguns serviços, pelo menos até as 8h de amanhã (3), quando se apresentarão na Delegacia Geral (Degepol) para definir os rumos da mobilização iniciada em 19 de dezembro em protesto contra o atraso no pagamento de salários.

Com a decisão, aprovada hoje (2) à tarde em assembleia, parte dos serviços ao público continuará suspensa nos 15 distritos policiais da Grande Natal, contrariando a decisão do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJ-RN), que determinou que bombeiros, policiais militares e civis de todo o estado retornem ao trabalho sob pena de multa diária de R$ 100 mil a ser aplicada às entidades representativas das categorias.

Além da previsão de multa, o desembargador do TJ-RN Claudio Santos também determinou a prisão em flagrante dos agentes da segurança pública que, a partir da publicação da sua decisão, “promoverem, incentivarem, estimularem ou colaborarem, por qualquer meio de comunicação, para a continuação da greve no sistema de segurança pública do Rio Grande do Norte, pelo cometimento de crimes de insubordinação, motim (PM) ou desobediência”. A decisão do tribunal foi tomada no último domingo (31).

 

Até o fim da assembleia desta tarde, o Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública (Sinpol-RN) informou que não havia sido oficialmente notificado da decisão judicial. De acordo com a assessoria do sindicato, a categoria não está em greve e decidirá os rumos da mobilização amanhã após se colocar à disposição da diretoria da Polícia Civil.

Por força da decisão judicial, os policiais militares começaram a voltar a patrulhar as ruas de Natal e região metropolitana na manhã de hoje. O retorno, no entanto, é gradual, pois segundo a assessoria da PM, o efetivo voltará às ruas na medida em que houver viaturas em condições de uso. O mau estado de parte da frota de veículos é um dos motivos da paralisação dos policiais militares, ao lado dos atrasos nos salários e da falta de condição de uso dos equipamentos de proteção.

Reforço na segurança

Em função do impasse com as forças policiais, o governo do Rio Grande do Norte transferiu o controle dos órgãos de segurança pública estaduais para o Exército no último sábado (30). Na véspera, o governo federal havia autorizado o envio de até 2,8 mil homens das Forças Armadas para garantir a lei e a ordem em Natal e Mossoró, a segunda cidade mais populosa do estado.

De acordo com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, do início da manifestação policial, em 19 de dezembro, até a manhã deste domingo (31), 94 mortes violentas foram registradas no estado, a maioria na região metropolitana de Natal e Mossoró. Somente na última sexta-feira (29), quando os primeiros militares começaram a chegar para tomar parte na Operação Potiguar III, ocorreram 18 homicídios.

Além dos militares das Forças Armadas, agentes da Força Nacional também atuam na segurança pública do estado: 120 já vinham apoiando os órgãos policiais potiguares desde o ano passado. No último dia 21, o governo federal autorizou o envio de mais 70 agentes para patrulhar as ruas da capital. E no dia 28, mais 30 agentes da Força Nacional foram autorizados a reforçar a ação da tropa especial para suprir a ausência dos policiais potiguares.

Agência Brasil

Deixe seu comentário

Governador reúne equipes econômica e jurídica para discutir medidas a serem apresentadas a Poderes e bancada

02 Jan2018

Por Jbelmont às 14h35

Será logo mais às 16 horas na Governadoria a reunião do governador Robinson Faria com auxiliares das áreas econômica e jurídicas do Governo.

Eles vão definir medidas a serem apresentadas nas reuniões de amanhã, com os Poderes, e da quinta-feira com a bancada federal.

As medidas discutidas hoje serão discutidas nas duas reuniões onde tanto Ministério Público, Tribunal de Contas, Tribunal de Justiça, Assembleia Legislativa quanto senadores e deputados também apresentarão sugestões a serem agregadas antes da convocação extraordinária da Assembleia Legislativa.

 

Thaisa Galvão

Deixe seu comentário

Com salários atrasados e sem 13º, servidores da saúde do RN iniciam 2018 em greve que já dura 50 dias

02 Jan2018

Por Jbelmont às 14h29

A saúde do Rio Grande do Norte completou 50 dias de greve no primeiro dia do ano. O ano de 2017 acabou, mas têm servidores que ainda não receberam o salário de novembro e nem o 13º salário.

“A folha de dezembro nem se fala, só foi paga até agora aos servidores da ativa de órgãos da administração indireta e da educação, que têm recursos próprios. Os demais servidores, aposentados e pensionistas, contudo, continuam sem receber. O Governo anunciou que só deve concluir a folha, apenas no dia 30 de janeiro”, informa Sindsaúde-RN.

Endividados, com as contas atrasadas e sem dinheiro sequer para o transporte, os servidores públicos estão chegando ao limite e já começaram a faltar o trabalho, a exemplo dos trabalhadores da saúde. Alguns setores como o centro cirúrgico do Walfredo Gurgel e do Ruy Pereira foram fechados por falta de funcionários.



BG

Deixe seu comentário

Preços da gasolina e do diesel terão a primeira variação de 2018 nesta quarta

02 Jan2018

Por Jbelmont às 12h31

O preço da gasolina comercializada nas refinarias terá uma redução de 0,1% nesta quarta-feira (3), de acordo com informação divulgada pela Petrobras. O diesel, por sua vez, terá um aumento de 0,6%. É a primeira variação de preço dos dois combustíveis em 2018. A última oscilação ocorreu no sábado (30 de dezembro), quando a gasolina aumentou 1,9% e o diesel 0,4%.

As variações de preço fazem parte do modelo de reajustes frequentes praticados pela Petrobras, “em busca de convergência no curto prazo com a paridade do mercado internacional”, segundo a estatal.

“Analisamos nossa participação no mercado interno e avaliamos frequentemente se haverá manutenção, redução ou aumento nos preços praticados nas refinarias. Sendo assim, os ajustes nos preços podem ser realizados a qualquer momento, inclusive diariamente”, acrescenta a empresa.

O preço final ao consumidor, nas bombas, dependerá de cada empresa revendedora e dos próprios postos de combustíveis. O histórico das últimas variações praticadas pela Petrobras está disponível na página da estatal na internet.

Agência Brasil

Deixe seu comentário

Policiais militares em Natal começam a voltar às ruas

02 Jan2018

Por Jbelmont às 12h18

O Blog recebeu a informação de um cabo da PM, de identidade preservada, que no fim da manhã desta terça-feira(02), viaturas da Polícia Militar começaram a voltar às ruas de Natal.

 

Segundo a fonte, ainda que timidamente, pelo menos vinte viaturas já começaram a sair de Batalhões, como por exemplo, do 1º e do 5º.

Deixe seu comentário

Após pedido da AGU, Justiça Federal suspende remanejamento de R$ 225 milhões para pagamento de salários de servidores do RN

02 Jan2018

Por Jbelmont às 08h38

Em decisão tomada no plantão judiciario no fim dessa segunda-feira(01), a Justiça Federal proibiu o Rio Grande do Norte de fazer o remanejamento de R$ 225 milhões da área de saúde para o pagamento dos servidores públicos.

A decisão foi do juiz Eduardo Dantas, da 14ª Vara Federal, atendendo a Advocacia Geral da União(AGU). Segundo a AGU, o uso da verba não poderia ser tomado pela justiça estadual, diante de recursos federais. Além disso, seria ilegal por determinar uso de repasses voluntários para pagamento de folha de pessoal.

 

BG

Deixe seu comentário

Segurança: Portaria vai determinar prisão de policiais que não retornarem ao trabalho

01 Jan2018

Por Jbelmont às 21h12

A secretaria de Segurança Pública,  Sheila Freitas, baixou portaria em que, com base em decisões judiciais, informa que policiais desobedientes que mantiverem movimento grevista serão punidos na forma da lei, qual seja, a prisão.

Confira

BG

Deixe seu comentário

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO 7a BRIGADA DE INFANTARIA MOTORIZADA BRIGADA FELIPE CAMARÃO

01 Jan2018

Por Jbelmont às 21h03

 

Natal, 1º de janeiro de 2018.

Nota à imprensa 

O Comandante da Força-Tarefa Guararapes informa que, na manhã desta segunda-feira, 1º de janeiro de 2018, um militar faleceu no município de Mossoró-RN. 

Trata-se do 1° Tenente Júlio César Ribeiro Feitosa Soares, do 23° Batalhão de Caçadores, sediado em Fortaleza-CE. Os detalhes do ocorrido estão sendo apurados por meio de Inquérito Policial Militar. 

Maiores informações poderão ser repassadas ao término da investigação, que será conduzida pela própria Organização Militar a que pertencia o Tenente. 

A família do militar já foi informada e todas as medidas de apoio médico, psicológico e espiritual estão sendo tomadas no intuito de prestar o suporte necessário. Neste momento, toda a Força-Tarefa Guararapes manifesta as condolências à família do militar. 

Comunicação Social da Operação Potiguar III

Deixe seu comentário

MPF quer impedir remanejamento de verba para pagamento de salário de servidores

01 Jan2018

Por Jbelmont às 18h09

O MPF vê ilegalidade na decisão da justiça do Rio Grande do Norte para que o Governo do Estado faça um remanejamento de R$225 milhões para o pagamento de salários dos servidores públicos. O motivo é que a verba foi destinada para o uso na área de saúde.

 

Veja Ofício abaixo

Deixe seu comentário

No RN, homicídios aumentam 20% em 2017; 2.405 mortes foram registrada

01 Jan2018

Por Jbelmont às 18h08

O Rio Grande do Norte registrou 2.405 homicídios no ano de 2017. De acordo com o Observatório da Violência Letal Intencional (OBVIO) – instituto que contabiliza os crimes contra a vida no estado – nunca se matou tanto em toda a história do estado. No geral, o total de assassinatos é 20,5% maior que a quantidade registrada em todo o ano de 2016.

Ainda de acordo com o instituto, o número de homicídos no RN havia diminuído em 2015, quando o estado registrou 1.670 assassinatos, ante 1.772 em 2014. Porém, desde 2016 o número vem crescendo e atingiu a marca histórica de 2 mil mortos em menos de um ano em outubro de 2017. Confira abaixo gráfico com os números de mortes violentas no estado nos últimos quatro anos.

A crescente onda de violência que atinge o território potiguar fez o estado perder, em média, mais de seis pessoas por dia. Em 2015, esse número não chegava a cinco. Confira a média de homícídos diários no Rio Grande do Norte desde 2014.

Com informações do G1/RN

Deixe seu comentário

Militar é encontrado morto dentro de alojamento durante operação das Forças Armadas no RN

01 Jan2018

Por Jbelmont às 13h08

Caso aconteceu na madrugada desta segunda-feira (1º) em Mossoró, na região Oeste potiguar. Morte foi confirmada pela assessoria da Operação Potiguar III.

Caminhão do Exército chega ao ginásio Pedro Ciarlini, base da Operação Potiguar III em Mossoró (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

Um militar das Forças Armadas brasileiras foi encontrado morto dentro do alojamento montado pela Operação Potiguar III em um ginásio de Mossoró, na região Oeste potiguar. O caso aconteceu na madrugada desta segunda-feira (1º) e foi confirmado pela comunicação do Exército. Cerca de 2,8 mil homens foram enviados ao Rio Grande do Norte neste final de semana para reforçar a segurança do estado, que enfrenta uma paralisação de policiais e bombeiros desde o dia 19.

Em entrevista coletiva no final da manhã desta segunda (1º), em Natal, o ministro da Defesa, Raul Jungmann afirmou que o caso ainda está sendo investigado. "Ainda não temos informações concretas. Mas o que já podemos informar é que não houve um crime", pontuou.

Informações como o nome, a idade e a patente do militar não foram divulgadas. A motivação da morte também não foi informada pela corporação. Uma equipe da Delegacia de Plantão de Mossoró foi até o ginásio Pedro Ciarlini, no bairro Bom Jardim, por volta das 7h desta segunda, mas foi impedida de entrar no local.

O delegado de plantão foi informado pelos militares que eles aguardavam a perícia da Polícia Federal e de um perito militar, que viria de Recife.

A assessoria da Operação Potiguar III confirmou a morte de um militar e que o fato ainda está sendo apurado. De acordo com a corporação, quando houver mais informações, elas serão divulgadas em nota. O Exército também afirmou que está dando apoio aos familiares do militar.

Paralisações

 

Os militares começaram a atuar no Rio Grande do Norte na última sexta-feira (29), após o governo federal atender a um pedido do Estado. O objetivo da operação é garantir a lei e a ordem durante uma paralisação das polícias Militar, Civil e do Corpo de Bombeiros, que começou no dia 19 de dezembro. Sem policiamento nas ruas houve aumento da violência na região metropolitana de Natal, Mossoró e outros municípios do interior.

Pelo menos 720 militares já estavam na capital no primeiro dia de operações. Até o final do sábado, 2,8 mil estavam no estado (inicialmente o Ministério da Defesa havia anunciado 2 mil homens). Eles foram divididos entre a Grande Natal e Mossoró.

Policiais e bombeiros cobram pagamento de salários e anunciaram uma operação padrão denominada "Segurança com Segurança". Com isso, alegam que só deixarão os batalhões com viaturas e equipamentos em condição de uso.

 

Salários

 

O governo não conseguiu cumprir um calendário que havia divulgado no dia 21 de dezembro de pagamento dos salários. O próprio governador Robinson Faria anunciou que o RN receberia R$ 600 milhões do governo federal, mas o Ministério da Fazenda negou o repasse após recomendação do Ministério Público de Contas.


Nesta sexta-feira, a administração estadual pagou apenas o salário de novembro dos servidores que recebem até R$ 4 mil. Mais de 80% da polícia foi contemplada, porém a paralisação continou. O pagamento do restante dos servidores será feito na primeira semana de janeiro, segundo informou o governo em nota, sem especificar o dia.

Na terça (26), a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, afirmou que está em estudo no Ministério da Fazenda e no Banco Mundial um plano para ajudar o Rio Grande do Norte. Segundo ela, a ajuda não envolverá recursos da União, mas um empréstimo do Banco Mundial ao estado.

Apesar disso, o governo do RN pediu ao ministro da Fazenda Henrique Meirelles que reconsidere a decisão de não enviar ajuda financeira no valor de R$ 600 milhões ao estado e ainda entrou com um recurso de embargo de declaração no Tribunal de Contas da União.

O objetivo, segundo a administração, é esclarecer a decisão do TCU que tinha sido favorável à transferência de auxílio do governo federal aos estados em crise fiscal, entre eles o RN.

 
G-1
Deixe seu comentário

Rio Grande do Norte registra 94 homicídios desde o início da greve da polícia

01 Jan2018

Por Jbelmont às 13h06

Em 13 dias de paralisação da Polícia Civil e Polícia Militar, o Rio Grande do Norte registrou 94 homicídios até a manhã deste domingo, dia 31. A quantidade representa um aumento de 28% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registradas 73 mortes violentas.

A chegada de 2.800 homens das Forças Armadas não alterou as estatísticas de homicídios. Somente na sexta-feira, 29, data em que parte das tropas foi às ruas, ocorreram 17 crimes do tipo. A data foi marcada por ter registrado a maior quantidade de óbitos desde o início das paralisações, no último dia 19.

Segundo levantamento do Observatório da Violência Letal Intencional (Obvio), instituto de contabiliza as mortes violentas no estado, antes da paralisação das polícias, a média era de 4,83 homicídios por dia. Durante as mobilizações esse número aumentou para 7,67.

O especialista em segurança pública e coordenador do Obvio, Ivênio Hermes, avalia que a chegada das Forças Armadas não inibe esse tipo de crime no estado. Desde 1º de janeiro até 31 de dezembro, foram contabilizados 2.403 homicídios, 20% a mais do mesmo período de 2016, quando o ano foi encerrado com 1.995 mortes.

— Será necessária uma operação tipo ocupação, com as Forças Armadas patrulhando o interior dos bairros, saindo apenas dos corredores de segurança para poder frear um pouco a onda de violência — analisa Hermes.

Um dos casos de homicídio foi de um senhor de 60 anos, em Extremoz, cidade da região metropolitana de Natal. Segundo informações da Polícia Civil, o senhor estaria em uma calçada próximo de sua residência quando foi surpreendido por outras duas pessoas, que o matou com pauladas. Até o momento, ninguém foi preso pelo crime.

 

O Globo

Deixe seu comentário

Salário mínimo de R$ 954 entra em vigor

01 Jan2018

Por Jbelmont às 00h41



O novo salário mínimo começa a valer hoje (1º). Decreto assinado pelo presidente na sexta-feira (29) fixa o seu valor em R$ 954, um aumento de R$ 17. É o menor reajuste do salário mínimo em 24 anos. O valor é inferior ao estimado anteriormente pelo governo, que era R$ 965.

O reajuste foi mais baixo porque a fórmula de correção leva em conta a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior, calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes.


Como o resultado do PIB de 2016 foi negativo, o reajuste do salário mínimo foi calculado apenas pelo INPC, estimado pelo governo em 1,81%.

 

Para o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o novo valor do salário mínimo para 2018 foi determinado pela aplicação da lei, e não por escolha política.

“O salário mínimo basicamente está definido por lei. A questão é apenas como calcular exatamente a aplicação dos índices de inflação. Porque o salário mínimo é definido por crescimento do PIB e inflação. Então é meramente uma questão de definir esses itens”, disse Meirelles em outubro, ao participar de evento em São Paulo.

Cerca de 45 milhões de pessoas no Brasil recebem o salário mínimo, entre aposentados e pensionistas, cujos benefícios são, ao menos em parte, pagos pelo governo federal.

A atual fórmula de reajuste do salário mínimo foi criada em 2012, ainda no governo da então presidente Dilma Rousseff, e deve valer até 2019.

Como o reajuste ficou abaixo da estimativa anterior, o governo deve economizar cerca de R$ 3,3 bilhões em gastos este ano.

Deixe seu comentário

Mossoró registrou na madrugada desta segunda-feira dia 1º a primeira morte violenta em 2018

01 Jan2018

Por Jbelmont às 00h40

Manoel Soares Nogueira Neto de 37 anos foi baleado no bairro Lagoa do Mato, e morreu a caminho do Hospital Regional Tarcísio Maia.

O ano de 2017 terminou como maior numero de homicídios já registrado em Mossoró. Foram 249 registros de homicídios na cidade e nas suas comunidades rurais e logo na primeira hora de 2018, a violência homicida volta a dá o ar de sua graça, quando Manoel Soares Nogueira Neto de 37 anos de idade foi morto a tiros, na Rua Olavo Bilac, na conhecida Lagoa do Mato, bairro Belo Horizonte.

Ele ainda chegou a ser levado para o Hospital Regional Tarcísio Maia, mas segundo informações, já em situação de vida irreversível. Ninguém tem informações sobre a motivação e nem sobre os possíveis acusados.

E mais 

Mossoroense do BH é morto a tiros na virada do ano em na Praia do Ceará em

Tibau RN

Um jovem de 22 anos de idade, indentificado apenas como Lucas Marques, que residia no Bairro belo Horizonte em Mossoró/RN, foi vítima de um homicídio por disparos de arma de fogo na Praia do Ceará, no municíopio dse Icapuí, próximo a Tibau no RN. 

De acordo com informações da polícia cearense, o jovem foi baleado por volta das 02h00min desta manhã de segunda feira 01 de janeiro de 2018. 

Ainda não se tem informações concretas em relação ao crime. Até o momento o que se sabe é que o jovem tinha saído do Bairro Belo Horizonte onde morava em Mossoró, passar a virado do ano em Tibau/RN. 

O corpo do jovem mossoroense, só foi removido do local do crime, por volta das 09h50min da manhã de hoje (01). O rabecão encaminhou o corpo para o Instituto Médico Legal (IML) de Russas/CE onde serão feitos os procedimentos de necropsia. 

A familia deverá comparecer a cidade cearensa, para reconhecimento do corpo e providenciar sua liberação para sepultamento. Lucas Marques, foi o segundo mossoroense assassinado no último dia de 2017, na região de Tibau.

Deixe seu comentário