Foto de Canindé Soares
 
O domingo realmente foi atípico em Natal. Um clássico de porte mundial e dos mais tradicionais do país desembarcava na cidade. E a capital não quis esquentar o encontro: se recusou ao calor frequente que aproximaria o jogo do Rio de Janeiro e sofreu com uma chuva do início ao fim do duelo. Nada, no entanto, que amornasse o embate dentro das quatro linhas.
 
A vitória do Fluminense por 2 a 1 no primeiro clássico entre os clubes cariocas em território potiguar marcou um jogo bem disputado, com direito a gol contra, outro de um dos atacantes mais cobiçados do país e, principalmente, arquibancada cheia. Tão cheia que teve 25 mil torcedores ao todo.
 
E um jogo envolvendo o Flamengo quebrou, mais uma vez, o recorde de renda do estádio: R$ 2 milhões e 200 mil arrecadados na partida desta tarde. O recorde anterior foi no jogo diante do Avaí, no ano passado, quando a renda foi de R$ 1,6 milhão. A torcida do Flamengo foi,como era previsto, superior nas arquibancadas.
 
Os setores sul e leste da Arena das Dunas estiveram pintados de vermelho e preto de ponta a ponta. Quase todas as cadeiras estiveram ocupadas nos anéis inferiores e superiores, apesar da grande chuva que caiu em Natal neste domingo.
 
Do lado do Flu, o setor norte não esteve como o esperado e muitas cadeiras ficaram vazias. A expectativa, no entanto, é de que todos aqueles ingressos também fossem vendidos, o que não aconteceu.
 
O jogo foi movimentado desde o primeiro tempo. O Flamengo criou as melhores oportunidades de gol, mas o Fluminense conseguia manter a posse de bola em determinados períodos, amornando o clássico. No segundo tempo é que as coisas começaram a fluir de maneira mais efetiva e o jogo ficou movimentado.
 
O Tricolor abriu o placar logo na volta do intervalo com gol contra de Wiliam Arão em cobrança de escanteio. Minutos depois o Flamengo conseguiu o empate com Paolo Guerrero, que aproveitou rebote de Cavalieri e empurrou de cabeça para o gol.
 
O Rubro-Negro se lançou ao ataque e deu espaço ao time de Levir Culpi, que conseguiu a virada com Richarlison, que acabara de entrar no jogo. Ele driblou Muralha e finalizou com tranquilidade para fazer o da vitória.
 
 
Do Novo